O que é Farmacoeconomia? Veja o que se estuda nessa área da Farmácia!

farmacoeconomia

Se você tem interesse em Farmácia e deseja entender mais sobre um campo empolgante, chegou a hora de explorar um dos ramos menos conhecidos dessa área. Afinal, você sabe o que é farmacoeconomia? 

Neste artigo, vamos mergulhar nos estudos dessa disciplina fascinante, que combina os conhecimentos da economia com a área da saúde. Bora, lá?

O que é farmacoeconomia?

A farmacoeconomia é uma área da Farmácia que se dedica a estudar a relação entre os medicamentos e os custos envolvidos no tratamento. Para isso, ela utiliza ferramentas e métodos econômicos para analisar os benefícios clínicos dos medicamentos e avaliar se os custos associados a eles são justificáveis. 

Em outras palavras, a farmacoeconomia busca responder à pergunta: “Qual é o melhor uso dos recursos financeiros na área da saúde?”

O que se estuda nessa área da Farmacoeconomia?

Agora que você já sabe o que é farmacoeconomia, é o momento de descobrir o que estuda nessa disciplina.

A seguir, veja as principais abordagens!

Análise de custo-efetividade

A análise de custo-efetividade é utilizada para determinar qual é a opção mais eficiente em termos de custo e resultado alcançado a fim de auxiliar nas tomadas de decisões relacionadas ao uso de medicamentos.

Para tanto, o processo de análise de custo-efetividade envolve a coleta de dados sobre os custos diretos e indiretos associados a cada intervenção, assim como a mensuração dos resultados obtidos por elas. 

Desse modo, a análise de custo-efetividade é uma ferramenta valiosa para os gestores de saúde, formuladores de políticas e profissionais da área da saúde, pois fornece informações essenciais para a alocação eficiente de recursos.

Consequentemente, essa análise contribui para maximizar os benefícios em saúde e garantir que os recursos sejam direcionados para as intervenções mais eficazes e economicamente viáveis.

Análise de impacto orçamentário

A análise de impacto orçamentário é uma ferramenta utilizada para avaliar os impactos financeiros de um determinado medicamento ou terapia no orçamento de um sistema de saúde. Assim, ela é importante para as decisões relacionadas à inclusão de novos medicamentos no sistema de saúde, considerando os recursos financeiros disponíveis.

mulher calculando
A Farmacoeconomia estuda a análise de impacto orçamentário. Fonte: Shutterstock.

Ao realizar uma análise de impacto orçamentário, são considerados diversos aspectos, como os custos diretos associados ao medicamento em estudo. Além disso, são levados em conta os custos indiretos, como exames de monitoramento, consultas médicas adicionais e possíveis efeitos colaterais. 

Em seguida, é realizada uma projeção dos custos esperados do medicamento ao longo do tempo, ponderando o número de pacientes que se beneficiarão do tratamento, a taxa de adesão ao medicamento e o aumento da demanda ao longo do tempo. 

É importante ressaltar que a análise de impacto orçamentário não se limita apenas à avaliação dos gastos Dessa forma, ela busca encontrar um equilíbrio entre os custos e os benefícios, garantindo que a inclusão do medicamento seja financeiramente sustentável e gere valor para o sistema de saúde.

Análise de minimização de custos

A análise de minimização de custos é utilizada para identificar a opção de tratamento que oferece a mesma eficácia terapêutica a um custo menor. Ela é relevante em situações em que existem medicamentos ou terapias equivalentes disponíveis, mas com diferentes preços.

Ao realizar essa análise, são comparados os custos diretos dos diferentes tratamentos, considerando os fatores como o preço dos medicamentos, a dose recomendada, a frequência de administração e a duração do tratamento. 

Desse modo, a ideia é encontrar a opção mais econômica que apresente resultados clínicos comparáveis. É importante ressaltar que, na análise de minimização de custos, a equivalência terapêutica entre os tratamentos é um requisito fundamental. 

a Farmacoeconomia também estuda a análise de minimização de custos. Fonte: Shutterstock.

Isso significa que os tratamentos devem ser comprovadamente eficazes e seguros, oferecendo os mesmos benefícios clínicos para os pacientes. 

Análise de valor em saúde

A análise de valor em saúde visa avaliar o valor real de uma intervenção em saúde a partir dos aspectos clínicos, dos resultados e dos benefícios para os pacientes e a sociedade. Assim, ao realizar essa análise, são considerados vários elementos, como:

  • resultados clínicos alcançados pela intervenção: melhoria dos sintomas, qualidade de vida, sobrevida e outros desfechos relevantes para a condição de saúde em questão;
  • custos diretos e indiretos associados à intervenção: exames, visitas médicas, medicamentos, internações e outros recursos utilizados durante o processo de tratamento;
  • perspectiva do paciente: impactos na qualidade de vida, nas necessidades e nas preferências dos pacientes, o que pode envolver a capacidade de realizar atividades diárias, o alívio dos sintomas, a melhoria do bem-estar emocional e outros aspectos valorizados pelos pacientes;
  • impactos sociais e econômicos: redução de custos para o sistema de saúde; capacidade de retorno ao trabalho, impacto na produtividade e outros fatores que afetam a sociedade em geral.

Com base nesses elementos, a análise de valor em saúde busca determinar se uma intervenção oferece um valor adequado em relação aos recursos utilizados. 

Venha fazer Farmácia com a Anhanguera!

O curso de Farmácia é voltado para quem quer trabalhar na área da saúde, lidando com medicamentos e outros assuntos relacionados. Durante o curso, você estudará disciplinas como farmacologia, microbiologia, química farmacêutica e outras áreas relevantes. 

Esses conhecimentos serão fundamentais para que você possa atuar de forma competente na área farmacêutica. Mas além disso, é preciso escolher uma instituição de ensino de qualidade, não é mesmo?

Para isso, a Anhanguera pode ajudar! Aqui, você terá a oportunidade de aprender com professores qualificados, que possuem amplo conhecimento na área. Além disso, a faculdade conta com infraestrutura de primeira! 

Neste post, você descobriu o que é farmacoeconomia e 4 abordagens dessa disciplina. Agora, fica mais fácil entender se a carreira na Farmácia é que enche os seus olhos para a sua vida profissional!

Aproveite e faça agora mesmo sua inscrição para o vestibular da Anhanguera e dê o primeiro passo rumo à sua carreira de sucesso na área da Farmácia.

Perguntas Frequentes

Como surgiu a farmacoeconomia?

A farmacoeconomia surgiu como uma disciplina no final do século XX, em resposta à necessidade de avaliar e otimizar o uso dos recursos na área da saúde. 

Com o aumento dos custos dos medicamentos e a crescente demanda por eficiência, surgiram estudos e metodologias para avaliar o valor econômico e clínico das intervenções farmacêuticas. 

Quanto ganha um gerente de farmacoeconomia?

O salário de um gerente de farmacoeconomia pode variar dependendo de diversos fatores, como localização geográfica, tamanho e reputação da empresa, nível de experiência e qualificações. 

Para ter uma estimativa mais precisa, é recomendado consultar fontes de informações salariais atualizadas e específicas para a sua área geográfica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima